segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Promessa para achar tesouro



O homem era pobre. Pobre mesmo! Pobre, pobre de marré-de-si. Todos que botavam olho no pobre coitado se doíam de dó de ver o misereis dele e da sua família.

A mulher era pobre. Pobre mesmo! Pobre, pobre de marré-de-si. Todos que botavam olho na pobre coitada se doíam de dó de ver o misereis dela e da sua família.

Os 13 filhos eram pobres. Pobre mesmo! Pobre, pobre de marré-de-si. Todos que botavam olho na piazada se doíam de dó de ver o misereis deles.

Um dia, o homem foi aconselhado a fazer promessa aos Santos, por ser extremamente pobre.

Tomou coragem e fez uma promessa, meio que envergonhado, mas com toda fé que conseguiu. – “Se me ajudarem a achar um tesouro, vou repartir em quatro partes: uma para os santos, uma para as almas, uma para mim e uma para os pobres”. – E ficou muito confiante.

Certo dia, andava pela mata caçando, quando deparou-se com uma casa em ruínas, caindo de podre. Curioso, entrou e pôs-se a olhar os cômodos. Mas numa das peças da casa, bem no canto da parede, estava desenterrado a beirada de um panelão, e tinha algo misturado com a terra dentro da vasilha. Desconfiado, pôs-se a cavar com as mãos freneticamente, quando, a surpresa! Um panelão de medalhões de ouro que quase saltavam ao
Pensou na promessa em que havia feito, pensou, pensou, depois de algum tempo, começou a repartição: esta parte vai para os santos, mas lembrou que sua casa estava cheia de santos, então puxou aquela parte para si. Esta parte vaia para as almas, mas lembrou que todos da sua casa, que não eram poucos, também tinham almas. Então puxou também aquela parte para si. A terceira parte pegou para ele conforme o combinado. A quarta parte era para os pobres, mas também lembrou que não havia naquele lugar gente mais pobre do que ele e sua família. Puxou a última parte junto do restante e foi-se embora com todo o tesouro.
Se os Santos cobraram a divida eu não sei, só sei que estão muito agradecidos, claro!!!

Con.te.vi!

Nenhum comentário:

Postar um comentário